Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passa Por Lá

Passa Por Lá

26
Jul17

1 mês de uma família de 3!

Carolina

O gordo mais lindo do meu mundo faz um mês.

O meu cheiro mistura-se com o dele e os meus dias também.

Há um mês que começou esta aventura a dois, já a sabíamos desafiante e nova.

Uma aventura que pode por à prova a nossa paciência e até a resistência gigante à nossa capacidade de fazer directas e ainda a sanidade da nossa relação. 

Sabíamos que os primeiros dias não ìam ser fáceis, muitas pessoas nos alertaram e preparam para tal. Não sabíamos que ia er tão bom viver este amor que nos arranca de dentro uma parte tão grande, que nos petrifica em contemplações e que vence o cansaço, as olheiras, a falta de uma noite gigante em que poderíamos dormir sem fim, que nos tira a ronha de um domingo de manhã e um tempo que agora já não temos.

Dizem que o verdadeiro amor vence obstáculos, derruba barreiras e cria laços sempre mais fortes, este nosso amor venceu as tormentas de um ano atribulado, agarrou-se à felicidade de cada viagem e deu asas ao nosso Xavier.

Xavier que até agora nos juntou ainda mais neste caminho de juntos sermos os seus pais, de o amarmos a cada segundo, de aprendermos a amar-nos ainda mais  agora que somos 2+1.

O Xavier que vale cada suspiro, cada desespero sonâmbulo, cada minuto de sono roubado, cada palavrão a meio da noite, cada kg que engordei e não me quer largar, vale cada minuto que nos rouba só a nós e cada hora que dá a está família de 3 que agora somos.

Passou um mês, ele sorri para ti, conhece a tua voz, ri para mim é pede o meu colo, tem uma música favorita para dormir, grita quando quer comer, cresceu e engordou e deixa para trás roupa que mal vestiu. Passou um mês, e pouco a pouco voltamos às antigas rotinas de uma vida que é agora nova.

Passou um mês desta família de 3. Grata pelo pai que o meu filho escolheu, grata por este filho que a vida me deu. Apaixonada muito, apaixonada pelos dois, mesmo nas noites em que só queria mais que 15 minutos daquele sossego para fazer um soninho a correr.

20427234_10213134120924174_1599907752_o.jpg

 

01
Jul17

oficialmente mãe!

Carolina

A minha casa cheira a leite, eu cheiro a leite, a minha vida cheira a ti. 

Desde que chegámos da maternidade que de todas as vezes que penso em escrever algo, acontecem coisas mais importantes que qualquer outro acontecimento do universo. 

Alimentar-te, mudar-te a fralda, dormir um bocadinho, tomar um banho.... Mesmo que muitas vezes essas coisas se resumam  ainda e só ao olhar infinitamente para ti. 

 

Sou oficialmente mãe há uma semana. 

Assim que  te chegaram a mim, com a minha cabeça entre as mãos do teu pai, fixei naquele momento cada traço do teu rosto, ainda coberto de todas as minhas entranhas, o beijo que te dei, o toque da tua pele e qualquer coisa que não se explica muito bem. 

O nosso filho chega à nossa vida...

 

O teu primeiro choro gravado na minha cabeça, como que parece um grito desenfreado de quem quem quer levar pela frente todo o mundo, é o momento que marca toda uma existência, onde passa a existir o antes de ti e todo um inimaginável depois de ti.

 

Tanto amor e tantas incertezas juntas, ficas ali junto a mim, mal me olhas ainda, mas já me cheiras, procuras e agarras a minha mama, entre o não saber o que fazer, parece que afinal eu e tu juntos sabemos como é, num instante estamos juntos, como qualquer outra fêmea a alimentar, cuidar e proteger a sua cria, tu mais protegido, eu mais embevecida e certa do meu novo papel.

 

Desse momento até hoje não consigo contar as horas de colo, as fraldas, os banhos, os nervos, o cansaço, os embalos em que quase adormeço antes de ti, o sono, as perguntas que faço, os se´s, a quantidade de coisas que consigo fazer contigo ao colo e só com uma mão, e as vezes que questiono: como será. 

 

 

Já chorei a cantar para ti, chorei abraçada ao teu pai, chorei a ouvir música, chorei por tudo e por nada. Já sorri tanto a cantar para ti,  sorri abraçada ao teu pai, a ouvir música, sorrri por tudo e por nada. 

Diz que as hormonas são assim, lixadas, como a minha barriga, as estrias, a cicatriz , e todas as coisas em que quando tenho algum tempo vou pensando, coisas que passo a passo irei tratar. 

 

Com abertas e tempestades, estamos a escrever o presente contigo filho, tu a cresceres a cada dia, nós a aprendermos a ser os teus pais.

 

Estes dias são nossos, o mimo, o cheiro, a descoberta e as provações de receber e dar graças pelo filho que fez de mim mãe, e todo um caminho novo para fazer.

Dias para escrever uma história de família, a nossa família de três, onde eu já sou oficialmente a mãe. 

 

19620079_10212863134789690_738327052_o.jpg

 o melhor bébé do mundo, cabe no meu colo!

 

 

 

07
Mai17

Meu amor!

Carolina

 

Ainda não nasceste e já fizeste de mim algo que não era. 

Entrastes dentro de mim e de todo o meu mundo e foste fazendo de mim alguém melhor. 

Transformar e fazer crescer, poderes que vais aumentando, partilhando comigo na tua primeira casa, nos nossos primeiros encontros. 

 

Meu amor,  estou à tua espera.

Quero que encontres o mundo, que e saibas que ele também é todo teu.

A mãe quer que sejas tu, que sejas livre, justo e feliz. A mãe quer que possas escolher o teu caminho, mesmo que muitas vezes o tenhas que recomeçar, quer que penses por ti, que digas o que te faz sentido e sigas os teus ideais, o que te parece certo. Mesmo que a vida mais dura te mostre que ás vezes isso tem um preço. 

Em cada ato de liberdade teu, meu amor, quero que saibas enfrentar o que vem depois, com a mesma fé na vida, fiel a ti e capaz de seguir em frente com tudo o que o estiver por vir. 

Filho que saibas ser á tua maneira, que sejas feliz de uma maneira qualquer. 

Amor da mãe, que em cada confronto, obstáculo ou dificuldade não deixes de ser quem és; deixa que a vida te mostre que quase tudo acontece no tempo certo, tal como tu fizeste comigo. 

  

Meu amor, ainda nem nasceste e já fizeste de mim o melhor que fui até hoje.

Invadiu-me uma felicidade tranquila, onde passo a passo vamos encaxaindo a tua chegada, preparando o meu colo, a nossa casa e esperando o inesperado de todos os dias, o que ainda não conheço.

Rebolo-me contigo e passeio por aí cheia de uma alegria feliz e aprendendo que há alturas em que nada, mas mesmo mais nada interessa.

 

Meu amor, ainda não nasceste e já sou tão tua mãe, já é tão grande o teu espaço neste mundo nosso. 

 

Obrigada Filho estou a apreder a ser Mãe contigo, com todo este amor que nasceu ainda antes de ti!

 

18379406_10212332281078679_2132320695_o.jpg

 

 

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D