Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Passa Por Lá

Passa Por Lá

29
Ago14

sextas

Carolina
as sextas feiras são como os affairs...
passam o dia numa languidez que nem é carne nem é peixe, e é um tic-tac constante do relógio para o qual se olha, e se percebe que simplesmente come tempo muito mais devagar ,que em qualquer outro dia da semana... 
as sextas devoram a noite com uma rapidez estúpida , infame e faminta, que nos obriga a entrar a um todo vapor, que  no final de contas, não queríamos... queríamos um devagar que prolongasse no tempo o chega ao fim-de-semana,  esse que logo se irá colapsar em mais um enfadonha segunda feira. 
as sextas são fugazes, são secas, intensas e levianas como a vodka; versáteis, descontraídas como a cerveja, sublimes, quentes e encorpadas como o tinto,  imensas e picantes com o gin... 
são dias que na realidade só deviam ser noites. nesse aspecto são muito parecidas com as segundas, agora que penso ... 
as sextas são um engate, passageiras e fugitivas, esperamos que cheguem para logo se irem... por isso muitas vezes transbordam demasiada intensidade e fixação, mesmo quando esperamos a sua plenitude para nos deliciarmos em preguiça, ócio de sofá e mantas, vinho tinto muito....
as sextas são o puro do engate, o toma lá dá cá de um momento que é curto, são o ir e vir de umas horas que acabam só no dia que lhe segue... são como olhares, passam por tudo o que existe e resumem o que podem ser a desertos onde pode acontecer o mais vulcânico dos amores, ou o catastrófico e desolador conhecimento de uma solidão de fim de semana.
 
e entre esta ou qualquer teoria sobre o tipo de engate que são as sextas feiras, podemos concluir que nada concluímos, ou que coisa nenhuma assim é; no final de contas as sextas são mais um dia na semana, como qualquer outro de tantas semanas num ano e tantos anos no nosso tempo... 
 
não adianta fazer o risco do olho mais carregado, aumentar o brilho do bâton, porque afinal as horas reais da sexta que todos esperam esfuma-se e chegam ao auge, perto do momento em que nos esquecemos que o bâton tem de se retocar, em que a sexta já é sábado, e ainda e como fomos parar ao sitio onde estamos (sei que estou a exagerar, mas pareceu-me bem, usar o exagero)...
 
isto tudo simplesmente para dizer o que muitos também já pensaram... ando desde segunda entre o nunca mais é sexta e já é quase sexta à tarde... 
 
esta filha da mãe da sexta engatou-me com resiliência, ainda nem segunda de manhã era... 
 
 
 
 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D