Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Passa Por Lá

Passa Por Lá

02
Fev06

Passa Por Lá #6

Carolina

 

Por vezes os pés fogem do chão e sem saber muito bem como, acabam num plano distante da realidade, mas muito próximo da nossa vontade.
Acabamos por ir para lá, como que levados, vamos para aquele lugar onde queremos estar, onde é perfeito aquele momento, onde afinal está o que procuramos, onde esquecemos as dores, os buracos e as barreiras.
 
Pouco a pouco, regressamos para terra firme, os escapes dissipam-se, passam, ficam então as duras certezas de podermos ter errado, de siplesmente nos termos iludido, sem pensar no depois.
 
A vida que tanto é uma cabeça no ar como sapatos amarrados ao chão, a vida que também é bater de cabeça, no momento, no sonho e depois claro, no presente real. A vida  que tantas vezes não passa do  assumir o que se esconde, e depois sentir o peso da acto, a consequeência da acção. Vida que nos leva por aí...
 
Deixamos os pés fugir, porque queremos; e num instante espiralizado, dizemos a nós próprios, que não, que não sabemos porque foi aquilo acontecer assim, porque se fez e se disse.
 
O impulso às vezes serve para justificar a demora da hora, a brutalidade da coisa, a intencionalidade da atitude... o impulso que é nosso e que por muito que queiramos negar é simplesmente o reforço de uma vontade, recalcada, escondida, meia morta, ou (sei lá), seja porque motivo for  existente, mesmo que no fundo de muitos dos nossos eus. 
 
Hoje sei que muita coisa está mais longe, mas depois penos e percebo que pode nunca ter estado perto. Nunca soube bem onde esteve, como esteve, não vi a passar por aqui, não sei se chegou a passar.
Sei que já a procurei, muitas vezes a vontade de a encontrar aumenta, noutras quase que adoremece. Talvez já faça parte de mim, da minha busca diária, do meu caminho. O que sou reside nesse desejo espalhado em tantos outros.
 
 
Todos buscamos um caminho capaz, não de nos fazer felizes, mas de nos oferecer momentos com felicidade, todos buscamos sonhar e concretizar sonhos, todos buscamos algo, alguém... Esta busca diz de nós, fala do que somos, mostra o que não dizemos e muitas vezes o que não sabemos. Muitas vezes é sombria e entre ruas que ninguém conhece fica parada no nosso tempo e quase nos esquecemos dela. 
 
Julgo saber que em toda a caça ao tesouro, há pistas falsas, há quedas e recuoos, há males necessários, há erros. A busca perfeita não existe, por isso, por ela, por tudo o que ainda procuro, pelo que também vou querer encontrar mas ainda não sinto vontade e claro pelo que burbulha cá dentro há algum tempo, peço desculpa a mim...
Desculpa, para me desculpar de seguida, ou para pensar se deculpo ou não, sim a mim. Porque quem dá passos neste caminho sou eu, quem anda, recua, celebra, erra, sou eu. Assim, se não me perdoar pelas passadas que dou e ainda pelas que nego dar, já mais serei capaz de chegar ao fim do caminho, mesmo que não seja esse o meu designio.
Se não o fizer, não serei capaz de prosseguir, progredir, andar. Imaginem um rio parado, de certo não será um rio.
Pois então está aí a resposta, um caminho sem passos, sem caminhadas, não é um caminho, então faço-me a ele, e a unica maneira de o trilhar é não deixar nada por perdoar a mim mesma, porque só assim consigo dar sentido ao percurso, pois torno-me então capaz de perdoar os outros, aqueles que são vida, que são mundo, que exitem sempre, e que como eu, têm tantas falhas de perfeição.
Só assim posso convidar o mundo, a andar por ali, por aquele meu caminho que também é de outros, só assim posso esperar que algum dia o outro, que também tem o seu caminho, me faça um convite, e me envie uma mensagem:  - "Estou á tua espera... passa por cá!".

2 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D