Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passa Por Lá

Passa Por Lá

27
Mai15

À tua espera...

Carolina
A noite chega tarde, o sol do verão que ainda não chegou mostra-se num alongar demorado. Os dias estão maiores...
O meu corpo entre papéis, confusão e ficheiros, letras e ideias soltas, pousa-se sobre um ar abafado, que anuncia trovoada e vai pedindo devagar para dormir. 

Irrito-me com este cansaço, esta espécie de apatia física que se instala de maneira demolidora e me retira objectividade. 
Quero dormir, sei que não posso, na hora de ir para a cama vou lembrar-me do sono que perdi, e que contadas umas horas que  não sei para onde foram, mas  desapareceram, esqueceram-se por aqui  do cansaço. Esse ficou....
Sento-me no sofá, os sapatos juntam-se a outros espalhados no chão já ontem... Sento-me só...Sinto a brisa fresca da casa e não me importa o sol que teimosamente permanece escostado do lado de fora da janela fechada ....contemplo a escuridão da sala, fecho os olhos, perco noção do tempo, viajo...

Sinto o calor, como se brisa fosse, passa-me junto ao pescoço, entre os vestígios de pequenos cabelos mal apanhados... E voo algures, longe, perto, para onde o tempo não conta. 
Na ausência ainda agora só, sem que saiba como chegas, a tua mão agarra o meu cabelo com uma força delicada, e no silêncio da nossa casa  agarras a minha mão, que pousas sobre o teu peito. Todo o meu corpo sente o bater do teu coração que me invade mão a dentro. 
Tocamos-nos num beijo, a solidão desaparece... A casa fica invadida da luz do fim do dia, do vento que passa, cheia de nós!
Sinto...E é tão bom chegar a casa.

....

Continuo no sofá, a casa continua só, eu ali com ela, deixo a luz entrar, deixo o dia lá fora, preparo-me para sair do sofá...respiro fundo e instala-se a tranquilidade... Estou feliz, estou à tua espera! 




18
Mai15

sexta

Carolina
Abre a porta e olha, respira fundo... põe a música a tocar, tira e espalha a roupa pela casa, bebe um copo, muitos...apaga a luz, acende as luzes...solta o cabelo, respira rápido...outra vez, outras vezes, muitas; dança, gira em voltas...esquece que há amanhã, encaixa o balanço da tua anca (algures), faz deslizar as tuas mãos.... E respira.... é sexta... e , inspira, e como numa segunda qualquer faz o que mais te apetecer!

04
Mai15

a minha história de amor

Carolina
a minha história de amor, podia ser contada ao som de um samba, do Caetano, do Gilberto, entre letras de Vinicius...e o som do mar... 
o samba, que se dança na solidão das ondas de um corpo, que dispara para o balanço, ou nos braços e pernas de quem em sincronia nos toma pelas ancas e nos faz voar ao som de toda a música. 
a minha história de amor podia ser um samba de louvor à saudade, à tristeza das águas que correm, ou  à alegria dos ventos que sopram, e das palavras com luz... 
a minha história de amor é um caminho, começou algures num tempo diferente do que gostaria, e mostrou-me a minha música, no momento em que eu era mesmo boa a ouvir a música dos outros. 
é um história pequena, que quero longa, imensa, e sempre intensa...capaz de me electrizar de tanta energia, capaz de se fazer ouvir como bolhas de ar de uma garrafa de oxigénio dentro de água.
não consigo por cor a este amor, nem  medir a intensidade destas minhocas a rastejar nas entranhas do meu corpo. 
dizem que o amor não se explica, e muitas vezes fico baralhada, não se explicando porque se contam,se vendem e se recordam as histórias de amor?

verdade é, que esta história existe, como eu também, verdade que não a sei contar no detalhe, nem percorrer de trás para a frente em memórias nítidas. sei falar  deste amor, uma amor pequenino com uma força gigante, com uma determinação atroz que luta tantas vezes com o lado mais forte e teimoso do que sou, para me levar mais além, para me ensinar a dar passos e terreno forrado a mimos, esperança, liberdade e ar puro.
esta história resulta de uma luta tão feroz, intensa e violenta que tantas vezes levou para fora de mim o meu melhor, resulta de batalhas diárias, e lágrimas e desejos e sonhos, e muita muita esperança... resulta de pequenos passos e encruzilhadas que nunca podem parar....
este amor que me deu livre arbítrio, escolha mais feliz de ser... ser melhor, mesmo que em passos de pequeno ser. este amor que me dá vontades de partir, de chegar, mesmo sem saber bem onde, e como, que me mostra diversidade em tanta, mas tanta  coisa que  durante tanto tempo não vi. este amor, esta história, que me deixam falar, cair, ser imperfeita, sem que isso seja o pior, deu-me um trabalheira de um caraças difícil, daqueles que pede para comer todos os dias...

a minha história de amor, começou algures num tempo meu... e ainda não terminou! certamente não poderá ter fim este amor que se constrói peça a peça sobre a segurança de podermos ser sempre melhores, e de sermos sempre quem somos! 


a minha história de amor, foi o encontrar de uma caminho, encontrar o meu caminho....
aprender a amar-me um desafio imenso, que me  faz hoje mais capaz de chegar ao infinito...
a minha história de amor comigo, fez de mim uma pessoa melhor, conhecer este amor trouxe-me o amor do mundo, o teu amor, a tranquilidade para aceitar o impermanente, uma força maior para chegar às minhas metas, potenciar e aceitar mudanças.... 
a minha história de amor, trouxe-me muito amor, o meu, o teu, o nosso, a certeza que a minha história, a nossa história, e tantas e o mundo, e cada uma das minhas viagens, nunca será em vão...

desejo que esta história acabe comigo, ou possa nunca acabar, que este amor por mim permaneça como eu, neste infinito tão  particular, mas que só faz sentido com todos os outros...os que como eu têm uma história de amor comigo, seja eu como for!

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D