Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passa Por Lá

Passa Por Lá

23
Jun09

(uma forma de Ser) EU

Carolina



Na forma diferente de seres tu,
Na doçura de um magoar intenso
Fui ficando doente...
Sim, foi ao analisar,
Ao impor no meu mais profundo id
Uma pulsão dinâmica
que o meu ego se recusou esquecer(-te).
És muito mais que olhar o espelho.
És o descobrir dia após dia,
Que a noite é tão fria
Como quente é o teu peito;
Que a alegria de respirar
é a forma inata de uma mutação constante,
que o circulo completa o passado...
e tudo mais.
Hoje estou doente,
Pois foi no ébrio mais louco
de tudo o que me habita
que descobri...
És senão mais que o sintoma de uma dor
E a cura de uma doença...
que vou tendo eternamente.
No entretanto do tempo,

esta minha enfermidade
e chaga intensa,
foi para lá duma fatalidade
a descoberta, de me sentir - Amada!!
Para vires então

curar-me da paixão
Tu, que és o outro,
Terás de olhos abertos
Apertar teu coração, tocares o meu
E simplesmente pelo que sou...
Dizeres: "amo-te"...




na razão do eterno retorno, volto a ler o que de mais honesto uma vez escrevi, uma imagem do que sou,da forma em que sei sentir... aquela em que existo e sempre acredito... sou antes de mais para mim, sem me mascarar para os demais e para que eles encontrem em mim o que desejam...
não pinto os quadros de cores que não gosto, nem me mascaro de perfeição que não tenho, para que me encontrem e me vejam; 
não sei ouvir a musica só porque é dos outros, não sei ir onde os outros já foram só para dizer que fui para falar de ter ido e mostrar ter estado lá, não me construo para um espelho me mostrar, não me envergonho de onde venho, não sei ser para as minhas raízes diferente do que sou para a minha história presente,  nem tentando seria diferente do id que sente, do ego que se faz sentir, do super-ego que já sendo está sentindo... sou um eu assim... sou amor das veias aos cabelos, sou o que não sei dizer mas tento, sem reticências ou janelas entreabertas, sou sem medo, com medos, sou tudo e nada como qualquer outro e ainda como mais ninguém!! sou a razão e a esperança, e de certo doença e cura, e seria uma serie de infindáveis adjectivos que me mostrariam tão pouco a quem não sabe como sou!!
continuaria com mais vontade,escrevendo interminavelmente, mas neste instante,ela perdeu-se e, por ser assim, nada mais acrescento hoje, a não ser, o sinal que faz de mim a dama, que não partindo já se foi... (o toque da sineta dourada diz que está na hora de fechar, trocar a tabuleta que diz vivendo, por uma que diz a sonhar, não bata para entrar, simplesmente entre!!!)

Abril de 2016



19
Jun09

apontamento

Carolina

no dia em que findou esta leitura percebi a importância de seres assim, perfeito, inteligivel, supremo, sublime, requintado de inteligência, mas ainda assim, sedento de calor e de um amor, que só quem como tu, estranho, é capaz de sentir e ousar dar;

hoje distante, sem entender, aceito, fazes muitas vezes Assim... hoje tão distante, amanhã aqui...


( Voltando atrás no tempo, mesmo que ele não volte: Apontamento escrito a 8 de Junho de 2009, para ser encontrado, perdida a razão do encontro, partilham-se as palavras, para que no tempo imortalizem a sua razão ou então, nele mesmo a percam...)
19
Jun09

pedras

Carolina
Cada pedra atirada, deixa marca negra, dolorosa e profunda numa pele branca e fragil, a minha... guardará ela com zelo todas, uma a uma, da maior à mais insignificante, da mais pequena à mais estilhaçante e forte... todas no lugar de embate...
Guardadas na pele, serão mais que nódoas ou adornos físicos para exibir, serão ainda marca do orgulho que terei, de as namorar, com os olhos num dia, enquanto que as contemplando dou graças por ter sido capaz de ultrapassar o mais marcante e feroz sofrimento da minha pequena grande alma e doce exitência... (toda e cada uma das pedradas, todo e cada um dos sopros daquelas pedras)
Marcas que me farão, orgulhosa, saber que fui capaz de nelas mesmas ultrapassar a mais dilacerante dor....
(Passarei com elas, sempre por lá... pelo lá que sempre está para vir e que depois disso simplesmente já passou...)
03
Jun09

escrevo-Te uma carta!

Carolina
um dia escrevo-te um carta, como quem vai para longe e não volta, escrevo-te a carta e fico aqui... escrevo-te uma carta com insultos, injurias e mentiras, raios e trovões, sonhos e desejos, escrevo-te e entrego-te em mão, de olhos abertos e sem lágrimas, de sorriso rasgado, peito refeito e cicatrizado... um dia escrevo-te uma carta, e só isso, mais palavras, mais pontuações e mais de mim... escrevo egoísta, porque também sou assim... escrevo-te para mostrar o reflexo e o que Esse não sabe mostrar.. desfaço-me nas palavras e deixo-me na carta, e, assim na carta que te escrevo me levarás, como desejas, para sempre contigo... ande eu onde andar, sonhe eu o que sonhar, passe por lá quem passar...
um dia,
um dia Eu escrevo-te um carta....

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D